Encontrei uma aranha. E agora?

Aranhas

São animais com 04 pares de patas e alimentam-se principalmente de insetos. O seu corpo é constituído por duas partes: a região anterior, chamada de cefalotórax, onde se encontram os ferrões, os palpos (nos machos serve como aparelho reprodutor), os olhos e as patas; já no abdômen, a região posterior, localizam-se os órgãos genitais das fêmeas, respiratórios e as glândulas produtoras de teia. Em todo o mundo existem aproximadamente 35.000 espécies e cerca de 30 são consideradas perigosas. No Brasil somente 03 espécies podem causar acidentes graves, sendo conhecidas popularmente como: aranha armadeira, aranha marrom e viúva-negra. A aranha-de-grama, muito comum em áreas urbanas e muitas vezes confundida com a armadeira, causa um grande número de acidentes mas com pouca gravidade.

Aranha armadeira (Phoneutria sp)

Quando adultas podem atingir até 12 cm (incluindo as pernas), possuem coloração marrom- acinzentada, não fazem teia, saem de seus abrigos durante a noite para se alimentar e durante o dia permanecem em locais escuros e úmidos, como beiras de córregos, folhagens e materiais acumulados (entulhos, madeiras, tijolos…). Quando ameaçadas, tornam-se agressivas e assumem uma posição de defesa. Os acidentes são bastante doloridos, no entanto, casos graves são raros.

 

 

Aranha-marrom (Loxosceles sp)

Possuem coloração marrom avermelhado; o corpo pequeno com pernas alongadas e atingem de 3 a 4 cm. Sua teia branca assemelha-se a um véu, vivem em fendas de barrancos, casca de árvores, e nas residências podem alojar-se em pontos escuros como: porões, atrás de quadros, móveis e outros.
Não é agressiva e a sua picada, geralmente indolor, ocorre quando pressionada acidentalmente. A dor no local pode surgir após algumas horas, com sensação de queimação, inchaço e manchas. Devido à gravidade do acidente deve-se tratar com soro específico.

Viúva-Negra (Latrodectus sp)

São aranhas pequenas, as fêmeas medem em torno de 2 cm e os machos, poucos milímetros; possuem o abdômen globoso. A coloração destas aranhas pode variar de acordo com a espécie, desde totalmente negra, negra com manchas vermelhas ou marrom acinzentada. Todas as espécies possuem um desenho em forma de ampulheta na cor alaranjada no ventre, como na espécie Latrodectus geometricus, a mais comum em nossa região. Constroem suas teias em arbustos, jardins, batentes de portas, beirais de janelas e cantos de paredes. Os acidentes são causados somente pelas fêmeas, quando espremidas contra o corpo acidentalmente, causando dor local, inchaço e ferida.

Aranha-de-grama (Lycosa sp)

Atingem um tamanho total de 6 cm, sua coloração pode ser cinza ou marrom avermelhado e todas possuem um desenho em forma seta no dorso do abdômen.
São aranhas consideradas errantes, muito comum nos centros urbanos, vivendo próximas às residências, em jardins, gramados, terrenos baldios…

Não são agressivas, os acidentes são raros e de pouca gravidade.

 

Aranhas que não apresentam risco a saúde

Caranguejeiras (Mygalomorphae sp.)

São aranhas grandes e peludas, também encontradas na área urbana, temidas devido seu tamanho, mas não são agressivas. Os acidentes com estas espécies não são graves, causando somente dor local; seus pelos, quando em contato com a pele, olhos ou inalados, podem causar alergias.

 

 

Aranhas-de-teia (Argyope sp e Nephila sp)

Constroem grandes teias geométricas em beirais de telhado, arbustos, postes e nas edificações em geral, são inofensivas e devem ser preservadas, pois nos ajudam no controle de insetos.

 

 

Como evitar acidentes com Aranhas?

Grande parte dos acidentes ocorre por descuido das pessoas nos momentos de trabalho ou lazer, ao andar em ambientes ou manusear materiais que servem de abrigo para esses animais, portanto:

  • Utilizar calçados adequados como botas, perneiras ou botinas ao andar em locais com mato alto e materiais acumulados;
  • Sempre usar luvas de raspa de couro quando movimentar materiais como tijolos, madeiras e entulhos;
  • Olhar bem roupas, calçados, toalhas de banho e roupas de cama antes de usar;
  • Afastar camas e berços das paredes e não deixar as roupas de cama encostarem no chão.

    Acidentes! O que fazer?

  • Procurar serviço médico mais próximo. Nenhum tratamento caseiro deve ser realizado;
  • Levar o animal para ser identificado irá facilitar o tratamento;
  • Dúvidas: ligar para o CCI (Centro de Controle de Intoxicações – UNICAMP) Plantão 24 horas –

    Fone 3521-7555 / 3521-6700.

    Como impedir que esses animais entrem em minha casa? Controle e

    prevenção

  • Manter limpos terrenos baldios vizinhos;
  • Nas divisas (muro ou cerca) entre a residência e o terreno baldio, manter uma área de 02

    metros de largura totalmente limpa (sem vegetação e livre de materiais que sirvam de

    abrigo);

  • O quintal deve estar limpo, livre de folhas secas, materiais de construção e lixo doméstico;
  • Cortar gramas, vegetações densas e recolher o material cortado;
  • As portas devem ser vedadas com sacos de areia ou rodinho de borracha, nas janelas utilizar

    telas tipo mosquiteiro;

  • Os ralos de pia, tanque e chão devem ser telados ou utilizar materiais adequados como um

    ralo com sistema abre-fecha;

  • As frestas existentes nas paredes e no chão devem ser vedadas.

    O uso de inseticidas não é eficiente no controle de aranhas, por isso a prevenção ainda é a melhor solução!

    Encontrei uma Aranha. E agora?

  • Seguir as orientações sobre como evitar acidentes;
  • Adotar as medidas de controle e prevenção já mencionadas;
  • Se desejar maiores esclarecimentos, entre em contato através do telefone 156 ou

    diretamente com o Centro de Controle de Zoonoses de Campinas, através do telefone 3245- 1219 ou mande um e-mail para:
    cczfaunaurbana@campinas.sp.gov.br
    saúde.zoonoses@campinas.sp.gov.br

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X